quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Ordem de Malta Moçambique apoia crianças doentes do coração

 Uma vida não tem preço contudo, o custo médio de uma cirurgia cardíaca a coração aberto, a nível internacional é de USD 20.000,00. Num país em desenvolvimento, como Moçambique, onde existem numerosos doentes do coração e, onde infelizmente o assunto não é prioritário, por ser um país seriamente afetado pelo vírus do VIH/SIDA ou pela Tuberculose e, onde a população se encontra em estado de pobreza absoluta, os doentes do coração não têm possibilidade de se fazer tratar e, se necessário, operar, com especial incidência nas crianças. 
  
O ICOR (Instituto do Coração) é o único centro em Moçambique dedicado ao Coração e às doenças negligenciadas do mesmo, e que desde 2001 começou a tomar uma especial atenção às crianças vulneráveis vindas das zonas rurais do país, doentes e com problemas cardíacos fatais, tendo começado a operar missões patrocinadas e organizadas em colaboração com as Organizações não governamentais: Chaine de l’Espoir, a Chain of Hope e a Cadeia da Esperança. Em conjunto têm como missão tratar as crianças doentes do coração, de forma gratuita, nomeadamente as crianças que sofrem de Fibrose Endomiocárdica e que se encontram em fase grave da doença e, maioritariamente em fase quase terminal. Desde 2001 foram operadas a coração aberto 670 crianças de forma completamente gratuita.

 Contudo, este trabalho não pode contemplar simplesmente a operação, pois este tipo de casos clínicos necessitam de um acompanhamento cuidado, algo que estas crianças não conseguem ter acesso nos seus meios rurais e no seio das suas famílias, quando as têm, afetadas por níveis de pobreza incrível e incapazes de proporcionar-lhes, além dos cuidados médicos, uma alimentação cuidada e muitas vezes um simples telhado ou as mínimas condições básicas. Estas missões proporcionam melhores perspetivas de vida a essas crianças, mas torna-se necessário um acompanhamento posterior da situação única de cada uma.
  
A Ordem de Malta Moçambique decidiu então apoiar e ajudar estas missões. Em colaboração com o ICOR e com as Irmãs Salesianas, encontra-se a efetuar um levantamento das crianças mais necessitadas, para que se possa, de forma casuística, prestar o apoio complementar a estas crianças. Cada Criança terá a “sua” Irmã que estará encarregue de, mensalmente, supervisionar a criança, a sua condição familiar, escolar, alimentar e de saúde. Desta forma poderemos rapidamente entender como melhor ajudar cada caso. Temos, portanto, como objetivo este apoio complementar e imprescindível a estes casos dramáticos, possibilitando que estas crianças tenham uma vida mais normal e possibilitando que o ICOR continue, através deste acompanhamento, a observar regularmente e sempre que necessário as condições de saúde das mesmas.