terça-feira, 16 de outubro de 2012

Visita à Hungria a convite do seu Governo

Entre os dias 4 a 7 de Outubro uma delegação da Assembleia Portuguesa chefiada pelo seu Presidente, Sua Excelência o Sr. Conde de Albuquerque, visitou a Hungria correspondendo a um convite feito pelo Governo Húngaro aquando da visita a Portugal no passado mês de Maio de Sua Excelência o Sr. Dr. Szolt Sémjen, Cavaleiro Húngaro da Ordem de Malta, e Vice-Primeiro-Ministro deste país, onde visitou a sede nacional da Igreja de Santa Luzia e o Santuário de Fátima.
A Delegação Portuguesa, composta ainda por S.E. o Sr. Embaixador da Ordem Soberana Militar de Malta em Portugal, Dr. Miguel de Polignac  e pela Exa. Sra. Embaixatriz Dona Maria da Piedade de Castelo Branco de Polignac, pelos Excelentíssimos Sr. Secretário da Assembleia Dr. João Pedro de Portugal de Campos Henriques, e o  Assessor do Tesoureiro da Assembleia Portuguesa, Sr. Dr. Miguel de Pape, foi recebida no Parlamento Húngaro em Budapeste, tendo-lhe sido oferecido um almoço nessa ocasião por S.E. o Sr. Vice-Primeiro-Ministro, após visita guiada ao monumento e contemplação da coroa do Primeiro Rei da Hungria, Santo Estêvão, símbolo Nacional Húngaro e garante da unidade intemporal da nação Húngara e do seu Espírito Cristão.
Também nessa ocasião S.E o Sr. Conde de Albuquerque foi condecorado por S.E o Presidente da República da Hungria Dr. Janos Ader, com a Ordem do Mérito Civil da Hungria, tendo as insígnias e o diploma respetivo sido entregues pela segunda figura do Governo Húngaro.
Seguidamente, S.E. o Sr. Conde de Albuquerque usou da palavra, tendo lembrado os pontos comuns entre a História de Portugal e a História da Hungria, e sublinhado a constante e permanente preocupação com a defesa dos verdadeiros valores cristãos pelas duas nações, e muito em particular do cumprimento da nossa missão enquanto cavaleiros de Malta Portugueses e Húngaros, nos combates que ao longo da História fomos travando lado a lado.
Lembrou ainda o facto do último Rei da Hungria, e também Imperador da Áustria, Carlos de Habsburgo, agora Beato Carlos, ter residido em Portugal na Quinta do Monte, Funchal, ilha da Madeira, estando sepultado na Igreja de Nossa Senhora do Monte .
Foi também recordado o parentesco entre a Rainha Santa Isabel e Santa Isabel da Hungria, ambas autoras do mesmo e célebre "Milagre das Rosas", assim como a referência feita à Hungria por Luís Vaz de Camões nos Lusíadas.
A Delegação foi também recebida na sede da Assembleia dos Cavaleiros Húngaros da Ordem Soberana Militar de Malta, tendo participado na celebração da Santa Missa presidida pelo Capelão Chefe da Assembleia Húngara, rezada na Capela das instalações da sede da Assembleia Húngara, no Castelo de Budapeste, tendo nessa ocasião sido oferecida à Assembleia local uma imagem de Nossa Senhora de Fátima  e assinado pelos dois Presidentes, um acordo de cooperação entre as duas associações, vindo desse modo  reforçar as bases de amizade confraternal entre ambas e abrir novos caminhos para o futuro e para a cooperação entre os cavaleiros portugueses e os cavaleiros húngaros, sempre em prol do Tuitio Fidae e do Obsequium Pauperum.
Nessa ocasião e após ter brindado à amizade e ao êxito das relações entre as duas Associações com Tokai a bebida tradicional do país, S.E. o Sr. Conde de Albuquerque lembrou a importância da intervenção decisiva de Nossa Senhora de Fátima para a queda dos regimes comunistas na Europa de Leste, e em particular para a queda do regime comunista de tipo soviético na Hungria (o qual só terminou em 1989), e para a libertação em boa hora da nobre Nação Húngara do invasor soviético, e da perversão utópica, irracional e opressora, desrespeitadora e atentatória da dignidade do Ser Humano e dos valores do Cristianismo, que um regime comunista injusta e abusivamente impõe de forma unilateral.
S.E. o Sr. Embaixador de Portugal, Dr. António Jorge  Mendes, ofereceu à Delegação um jantar privado no dia 5 de Outubro na sua residência situada nos arredores da capital.
A Delegação da Assembleia Portuguesa visitou também a Catedral de Esztergom, sede da Diocese de Budapeste, o Castelo de Budapeste, a Praça dos Heróis e as magníficas Igrejas de Matias e de Santa Ana.  
Ficaram assim reforçadas as relações entre as duas Assembleias e aberto o caminho para uma renovada e profícua cooperação.