segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Mensagem de S.E o Sr. Conde de Albuquerque, Presidente da Assembleia Portuguesa da Ordem Soberana Militar de Malta

Foi Deus Nosso Senhor servido ao chamar à Sua Presença o nosso querido confrade e amigo Dr. João Pedro de Portugal e Campos Henriques, há quatro dias no passado dia 22 de Outubro.
Como todos sabemos o Dr. João Pedro de Campos Henriques desempenhava já desde há cerca de  três anos e sete meses, de forma exemplar, as funções de Secretário Geral da Assembleia Portuguesa. Durante esse período de tempo os confrades puderam testemunhar o empenho, a abnegação e a imensa dedicação com que este nosso confrade se entregou diária e regularmente « de corpo e Alma » ao desempenho das suas tarefas.
O seu trabalho não era um trabalho fácil .
Ser Secretário Geral de uma Associação Nacional da Ordem Soberana Militar de Malta é tarefa árdua, desgastante e difícil, muito exposta a pressões vindas de todos os lados   (eu próprio já desempenhei essas funções no passado) e que exige grande dedicação e entrega.
Não basta « dar »  :  é preciso « dar – se »  a si mesmo cristãmente  e ao seu próximo de modo incondicional , renunciando a si mesmo; e assim fazia o João Pedro, com o seu imenso talento para as relações humanas, com o seu sentido de humor, com a sua sensibilidade, com o seu tato, com a sua infinita paciência e bondade, enfim com o seu enorme coração iluminado por uma profunda e sempre vivida Espiritualidade.
Com efeito e enquanto Bom Cristão, o « nosso » João Pedro nunca desistiu de dar o seu melhor em prol da  nossa Ordem, da nossa vida religiosa  e da boa concretização dos nossos objetivos de natureza assistencial  sempre no respeito do nosso carisma próprio enquanto Ordem Católica de Cavalaria, o Tuitio Fidae e o Obsequium Pauperum.
Podemos dizer que a dinamização da presença da Ordem de Malta no nosso País  e também além fronteiras, designadamente por ocasião da Peregrinação anual e internacional da Ordem de Malta a Lourdes,  nos últimos três anos muito lhe deve, relembrando aqui, por entre as diversas  e múltiplas « frentes de batalha » que abraçava com gosto, entusiasmo e com a imensa generosidade que o caracterizava, a sua ação ímpar e decisiva para o êxito da Visita Particular que S.A.E. o Príncipe e Grão Mestre Fra Matthew Festing realizou a Portugal, mais concretamente à cidade do Porto, no passado mês de Abril, por ocasião das Cerimónias relacionadas com a Prestação do Juramento feita por Frei Dom Ruy de Villas Boas, e a consequente expressão dos seus votos perpétuos enquanto Cavaleiro de Justiça.
Mas o João Pedro também foi, além de confrade exemplar, um verdadeiro e autêntico « Nobre » no que isso quer real e essencialmente dizer; respeitando e dignificando as Tradições da sua Família e transmitindo a sua visão coerente, generosa, tolerante e solidária da Vida e dos outros aos seus.
Foi também inequivocamente um grande amigo, cujas relações com aqueles que lhe eram próximos e com os quais desenvolvia laços se pautavam por uma imensa afetividade assente numa verdadeira e autêntica estima.
Não poderei nunca esquecer o carinho, a atenção, a humanidade e a verdadeira amizade que sempre dedicou à Assembleia e aos seus confrades e muito em particular aos seus colegas de Conselho.
Sou-lhe, tanto a titulo pessoal como a nível institucional e enquanto  Presidente da Assembleia Portuguesa devedor de inúmeras provas de estima e de grande dedicação; estando certo e seguro de que o João Pedro nos irá acompanhar sempre e para sempre, permanecendo vivo nas nossas memórias e nos nossos corações.
A ele e à sua Ilustre Família na pessoa de sua Mulher e nossa querida amiga Teresa Campos Henriques transmitimos já pessoal e oficialmente os nossos mais sentidos e sinceros pêsames.
E estou certo de que Deus Nosso Senhor tê-lo-à para sempre junto de Si e para a Eternidade na Sua Santa Guarda dando Paz e Descanso à sua Alma para todo o Sempre.

Requiescat in Pacem
 
Deus Guarde Vossas Excelências

Conde de Albuquerque
     Presidente